Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Pra Jesus!!!

*&*

O mundo vivia de barro e agonia

Quando Ele chegou…

Amigo Moisés, de tábuas riscadas,

E as leis abortadas no dia a dia

Firmou seu recado para além do seu tempo

Mas, no firmamento intensas estrelas,

Piscavam mudanças, Jesus foi criança

A nossa herança num ventre de luz

Maria Santíssima a mãe do amor

Dezembro ou março o choro da alma

Na manjedoura atraiu as certezas

A realeza celeste em Nazaré tão agreste

Depois de andanças pra escapar de Herodes

Recebe visitas de quem acredita

Amigos e magos de lugares alhures

Trouxeram suas prendas especiais

Mirra e assepsia para o médico Maior

O corpo desfaz, mas o incenso é capaz de revelar-te a alma,

O ouro é valor de conceito tão forte

O norte simbólico da evolução

Entre magos e mirras cresceu meu dilema

Incensos e ouros

O meu tesouro é feito de rimas e poemas

Jesus meu amigo meu incenso meu trigo

O mais antigo saber

Viver de verdade é a rima humildade

Pra te oferecer!

*&*

Ademário da Silva

08 de setembro de 2017.Mirra, Incenso e Luz...

Anúncios

Pra mode de arrespondê pra minha amiga Evori Lastebasse…

*&*

É cumadi, que mal faz o padre,

De latim e de sabre se nem sabe benzê

Fumaça de incenso não causa alergia

Nem provoca engasgo na respiração

O embargo é a toga do ego no prego do orguio

E por fala em mirra que se mistura na água

Pra assepsiá

Banho de assento na consciência

Que num podi derramá

A água da pia que já não faz efeito

Pru sujeito se batizá

Lá na senzala bem pra lá da batina

Mininu e minina é fios do amo

Que era um disgramo só de se oiá

Mas o bacuri e a bacuria da preta sesteira

Que punha pêra escondida sob a banana

Pra véia rezadeira apreciá

E a seis da tarde na Ave-Maria

Fumaça de incenso na dança de jongo

Pra disfarça

O ouro em pó engruvinhado na cabelo

Pru nego se alibertá

O tempo vira o conceito de querditá

Mas, a luz de baixo do arqueire

Fez um salceiro pra se alforriá

E hoje que a fala da impáfia mistura o verbo e o sujeito

Na inconcordância que há

Falam que tudo é macumba

Mas, macumba não há

Macumba é instrumento pro jongo dança

A fé vive na alma que sabe amá…

*&*

Ademário da Silva

09 de setembro de 2017.

Vida…

*&*

Vida que o vento leva, leva o que vai e vem,

Dentro do tempo existem tesouros de eterno bem

Vida que me acomoda a moda que o tempo tem

Vida que o tempo roda nas rodas daquele trem

O trem que viaja a vida no vento que vem meu bem

Eu ando de terno e carne no charme do impermanente

A alma cresce no olho de luz e de estrela cadente

A dor de minha pele antiga é ostra de pérola vidente

Ferida que é cicatriz no vento que é recorrente

É vida que a alma vive

Quebrando densas correntes

É vida que vira morte no corpo que cansa e para

E para que a morte viva a alma se desmascara

O tempo dança com o vento na força da erosão

A alma reveste-se de luz e alegria

E toma uma placenta de volta

E o corpo então se renova

Pras provas que ainda falta

Nos traços da evolução!

*&*

Ademário da Silva

17 de agosto de 2017.flores de ipê...

Voa livre…

*&*

Sobe…  E se sustenta

Que o abismo já te rejeita

Essa é a desfeita da sombra

Que já não te aceita

Voa nas nuvens

Que a liberdade

É cria legítima do infinito

Seu grito

Nem mesmo a dor já não suporta

A porta do livre arbítrio

É a consciência…

Conforta

Com versos e bordões

Os corações de quem

Já não se ausenta

Aporta

Seus olhos no amanhã

Porque o passado 

Já se desfez

E a vez

Agora é da luz

Que se ergue no firmamento

Obediência…

É a ciência de amar ao próximo

Em toda existência…

Sobe e… Voa

Grita na porta

Que a canção jamais

Será morta na indecisão

Aporta na paz

Semente que não silencia

Não cresce jamais…

Interrogação…

É o próprio silêncio da emoção!

Oração!!!

*&*

Ademário da Silva

03 de setembro de 2017.

 

 

NA LUTA CONTRA O MAL

Livro BOA NOVA

Pelo Espírito HUMBERTO DE CAMPOS

Francisco Cândido Xavier *

*&*

A LUTA CONTRA O MAL

De todas as ocorrências da tarefa apostólica, os encontros do Mestre com os endemoninhados constituíam os fatos que mais impressionavam os discípulos. A palavra “diabo” era então compreendida na sua justa acepção. Segundo o sentido exato da expressão, era ele o adversário do bem, simbolizando o termo, dessa forma, todos os maus sentimentos que dificultavam o acesso das almas à aceitação da Boa Nova e todos os homens de vida perversa, que contrariavam os propósitos da existência pura, que deveriam caracterizar as atividades dos adeptos do Evangelho. Dentre os companheiros do Messias, Tadeu era o que mais se deixava impressionar por aquelas cenas dolorosas. Aguçavam-lhe, sobremaneira, a curiosidade de homem os gritos desesperados dos espíritos malfazejos, que se afastavam de suas vitimas sob a amorosa determinação do Mestre Divino. Quando os pobres obsidiados deixavam escapar um suspiro de alívio, Tadeu volvia os olhos para Jesus, maravilhado de seus feitos. Certo dia em que o Senhor se retirara, com Tiago e João, para os lados de Cesaréia de Filipe, uma pobre demente lhe foi trazida, a fim de que ele, Tadeu, anulasse a atuação dos Espíritos perturbadores que a subjugavam. Entretanto, apesar de todos os esforços de sua boa-vontade, Tadeu não conseguiu modificar a situação. Somente no dia imediato, ao anoitecer, na presença confortadora do Messias, foi possível à infeliz dementada recuperar o senso de si mesma. Observando o fato, Tadeu caiu em sério e profundo cismar.

Por que razão o Mestre não lhes transmitia, automaticamente, o poder de expulsar os demônios malfazejos, para que pudessem dominar os adversários da causa divina?

Se era tão fácil a Jesus a cura integral dos endemoninhados, por que motivo não provocava ele de vez a aproximação geral de todos os inimigos da luz, a fim de que, pela sua autoridade, fossem definitivamente convertidos ao reino de Deus?

Com o cérebro torturado por graves cogitações e sonhando possibilidades maravilhosas para que cessassem todos os combates entre os ensinamentos do Evangelho e os seus inimigos, o discípulo inquieto procurou avistar-se particularmente com o Senhor, de modo a expor-lhe com humildade suas idéias íntimas. * Numa noite tranquila, depois de lhe escutar as ponderações, perguntou-lhe Jesus, em tom austero:

Tadeu, qual o principal objetivo das atividades de tua vida?

Como se recebesse uma centelha de inspiração superior, respondeu o discípulo com sinceridade: Mestre, estou procurando realizar o reino de Deus no coração.

Se procuras semelhante realidade, por que a reclamas no adversário em primeiro lugar?

Seria justo esqueceres as tuas próprias necessidades nesse sentido?

 Se buscamos atingir o infinito da sabedoria e do amor em Nosso Pai, indispensável se faz reconheçamos que todos somos irmãos no mesmo caminho!…

Senhor, os espíritos do mal são também nossos irmãos?

Inquiriu, admirado, o apóstolo. Toda a criação é de Deus. Os que vestem a túnica do mal envergarão um dia a da redenção pelo bem.

Acaso, poderias duvidar disso?

O discípulo do Evangelho não combate propriamente o seu irmão, como Deus nunca entra em luta com seus filhos; aquele apenas combate toda manifestação de ignorância, como o Pai que trabalha incessantemente pela vitória do seu amor, junto da humanidade inteira.

Mas, não seria justo ajuntou o discípulo, com certa convicção convocarmos todos os gênios malfazejos para que se convertessem à verdade dos céus?

O Mestre, sem se surpreender com essa observação, disse:

Por que motivo não procede Deus assim?…

Porventura, teríamos nós uma substância de amor mais sublime e mais forte que a do seu coração paternal?

Tadeu, jamais olvidemos o bom combate. Se alguém te convoca ao labor ingrato da má semente, não desdenhes a boa luta pela vitória do bem, encarando qualquer posição difícil como ensejo sagrado para revelares a tua fidelidade a Deus. Abraça sempre o teu irmão. Se o adversário do reino te provoca ao esclarecimento de toda a verdade, não desprezes a hora de trabalhar pela vitória da luz; mas segue o teu caminho no mundo atento aos teus próprios deveres, pois não nos consta que Deus abandonasse as suas atividades divinas para impor a renovação moral dos filhos ingratos, que se rebelaram na sua casa.

Se o mundo parece povoar-se de sombras, é preciso reconhecer que as leis de Deus são sempre as mesmas, em todas as latitudes da vida.

É indispensável meditar na lição de Nosso Pai e não estacionar a meio do caminho que percorremos.

Os inimigos do reino se empenham em batalhas sangrentas? Não olvides o teu próprio trabalho.

Padecem no inferno das ambições desmedidas? Caminha para Deus.

Lançam a perseguição contra a verdade? Tens contigo a verdade divina que o mundo não te poderá roubar, nunca.

Os grandes patrimônios da vida não pertencem às forças da Terra, mas às do Céu.

O homem, que dominasse o mundo inteiro com a sua força, teria de quebrar a sua espada sangrenta, ante os direitos inflexíveis da morte.

E, além desta vida, ninguém te perguntará pelas obrigações que tocam a Deus, mas, unicamente, pelo mundo interior que te pertence a ti mesmo, sob as vistas amoráveis de Nosso Pai.

Que diríamos de um rei justo e sábio que perguntasse a um só de seus súditos pela justiça e pela sabedoria do reino inteiro?

 Entretanto, é natural que o súdito seja inquirido acerca dos trabalhos que lhe foram confiados, no plano geral, sendo também justo se lhe pergunte pelo que foi feito de seus pais, de sua companheira, de seus filhos e irmãos.

Andas assim tão esquecido desses problemas fáceis e singelos?

Aceita a luta, sempre que fores julgado digno dela e não te esqueças, em todas as circunstâncias, de que construir é sempre melhor. Tadeu contemplou o Mestre, tomado de profunda admiração. Seus esclarecimentos lhe caíam no espírito como gotas imensas de uma nova luz.

Senhor disse ele —, vossos raciocínios me iluminam o coração; mas, terei errado externando meus sentimentos de piedade pelos espíritos malfazejos? Não devemos, então, convocá-los ao bom caminho?

Toda intenção excelente redarguiu Jesus será levada em justa conta no céu, mas precisamos compreender que não se deve tentar a Deus. Tenho aceitado a luta como o Pai me envia e tenho esclarecido que a cada dia basta o seu trabalho. Nunca reuni o colégio dos meus companheiros para provocar as manifestações dos que se comprazem na treva; reuni-os, em todas as circunstâncias e oportunidades, suplicando para o nosso esforço a inspiração sagrada do Todo-Poderoso.

O adversário é sempre um necessitado que comparece ao banquete das nossas alegrias e, por isso, embora não o tenha convocado, convidando somente os aflitos, os simples e os de boa-vontade, nunca lhe fechei as portas do coração, encarando a sua vinda como uma oportunidade de trabalho, de que Deus nos julga dignos.

O apóstolo humilde sorriu, saciado em sua fome de conhecimento, porém acrescentou, preocupado com a impossibilidade em que se via de atender eficazmente à vítima que o procurara:

 Senhor, vossas palavras são sempre sábias; entretanto, de que necessitarei para afastar as entidades da sombra, quando o seu império se estabeleça nas almas?!… Voltamos, assim, ao início das nossas explicações retrucou Jesus —, pois, para isso, necessitas da edificação do reino no âmago do teu espírito, sendo este o objetivo de tua vida. Só a luz do amor divino é bastante forte para converter uma alma à verdade. Já viste algum contendor da Terra convencer-se sinceramente tão-só pela força das palavras do mundo?

As dissertações filosóficas não constituem toda a realização. Elas podem ser um recurso fácil da indiferença ou uma túnica brilhante, acobertando penosas necessidades. O reino de Deus, porém, é a edificação divina da luz. E a luz ilumina, dispensando os longos discursos. Capacita-te de que ninguém pode dar a outrem aquilo que ainda não possua no coração.

Vai! Trabalha sem cessar pela tua grande vitória. Zela por ti e ama a teu próximo, sem olvidares que Deus cuida de todos.

* Tadeu guardou os esclarecimentos de Jesus, para retirar de sua substância o mais elevado proveito no futuro. No dia seguinte, desejando destacar, perante a comunidade dos seus seguidores, a necessidade de cada qual se atirar ao esforço silencioso pela sua própria edificação evangélica, o Mestre esclareceu aos seus apóstolos singelos, como se encontra dentro da narrativa de Lucas:

“Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos, procurando, e não o achando diz: Voltarei para a casa donde saí; e, ao chegar, acha-a varrida e adornada. Depois, vai e leva mais sete Espíritos piores do que ele, que ali entram e habitam; e o último estado daquele homem fica sendo pior do que o primeiro.”

Então, todos os ouvintes das pregações do lago compreenderam que não bastava ensinar o caminho da verdade e do bem aos Espíritos perturbados e malfazejos; que indispensável era edificasse cada um a fortaleza luminosa e sagrada do reino de Deus, dentro de si mesmo.

 

Mari’amiga…

Caminhada contínua!

*&*

O tempo passa e o firmamento continua

E andam nuas as estrelas pelo céu

E a eternidade realidade mais divina

Não é resgate nem destino ou provação

É poesia que se rima no caminho

Com versos tortos, versos certos ou versos ricos.

O ir e vir é o mais completo dos direitos

Se eu aceito, se rejeito ou se compulso.

Se tenho pulso pra enfrentar os meus defeitos

E toda força que transpira no universo

 São luzes oportunas no poema

A lagarta, o colibri e a falena,

São as lições da nossa evolução

Não se detenha no adverso, na dor ou sofrimento,

Viver aqui é um momento de ilusão

O tempo passa e a matéria envelhece

Só mesmo a alma enriquece em atributos

Não faça luto da saudade que é uma prece

Recordações dos lugares mais bonitos

E dos amores, amigos (as) e dos afetos morando no infinito,

E das canções e poesias, alegria de quem cria,

E domina instrumentos de metais, teclas e cordas,

Jornada das emoções…

Lâmpadas, faróis e lanternas

Iluminando os corações!  

*&*

Ademário da Silva

25 de agosto de 2017.

 

 

 Mari'amiga

A misericórdia do Pai vem adiante da Justiça… Nos braços de Seu amor por suas crias…

*&*

Da luz suprema à treva total, e vice-versa, temos o fluxo e o re­fluxo do sopro do Criador, através de seres incontáveis, escalonados em todos os tons do instinto, da inteligência, da razão, da humanidade e da an­gelitude, que modificam a energia divina, de acordo com a graduação do trabalho evolutivo, no meio em que se encontram. Cada degrau da vida está superlotado por milhões de criaturas… O caminho da ascensão espiritual é bem aquela escada mila­grosa da visão de Jacob, que passava pela Terra e se perdia nos céus… A prece, qualquer que ela seja, é ação provocando a reação que lhe corres­ponde.

Ministro Clarêncio… 

Do livro Entre a Terra e o Céu = André Luiz // Francisco Cândido Xavier.

*&*

Na contra mão da compreensão a assertiva popular de que: “Deus tarda, mas não falta”, apenas tem o seu sentido visto pelo retrovisor das necessidades humanas… Ao longo da vida tenho ouvido esse jargão popular, e hoje tendo a fala de Clarêncio como fonte de inspiração e espelho profundo da filosofia existencial, que semeada por Jesus, desde antes de sua estada nesse mundo de provas e expiações que é o nosso querido planeta Terra, enxergo as disposições mais simples do “amor ao próximo”, enquanto legado de luz deixado como herança espiritual, mormente na parábola dos talentos, em que as oportunidades e recursos são distribuídos proporcionalmente a capacidade de cada, e a orientação de que multipliquemos esses recursos, com base na lei de caridade, imantados pela fé que raciocina…

E aí alguém chega e diz assim: “Deus não escolhe os capacitados, mas, capacita os escolhidos”;… ( E eu fico á pensar com meus botões, porque haveria Deus de escolher os incapacitados em detrimentos dos outros, será que apenas para ter mais trabalhos…) Há controvérsias! Como se Deus estivesse brincando de cabra cega com suas crias, ás quais deu a vida, o tempo e todas as moradas de Sua casa para nos desenvolvermos.

E aí então entendemos com Clarêncio que no fluxo e refluxo da vida, aqui, acolá ou alhures, temos em nosso caminho os ‘seres incontáveis’, que chamamos de anjos da guarda, protetores e tutores e que se manifestam em nossa vida, segundo nossas necessidades, em todos os quadrantes do planeta, em todos os ambientes, em todos os tempos, ou seja, estejamos nós em tempos de luz ou de sombras, em tempos de dores e sofrimentos ou em tempos de aprendizados e trabalhos, em algum momento, por necessidade ou por incapacidade nossa, surgirão amigos, circunstâncias e uma gama imensa de ocorrências, trazendo recursos, incidências positivas e também soluções aos nossos problemas de momentos. Posto que ás vezes temos que seguir adiante, temos tarefas a serem realizadas, temos que firmar compromissos de variada ordem e se  nos faltam condições, até pelo enredo espiritual a que estamos vinculados. Seja um roteiro de lutas redentora, seja de expiações morais e espirituais.

É aqui que podemos entender o fluxo e refluxo de que nos fala Clarêncio, como o movimento da Bondade Divina em favor de seus filhos em provações.

Em todos os países, nas montanhas e nos desertos, nas favelas e nos palácios, o conforto e recurso, a mão amiga e a solução, o pão e o agasalho chegam de algum modo, fazendo valer aquela assertiva popular de “Deus tarda, mas não falta”;

Será que alguém é capaz de imaginar que Deus está ausente num milímetro quadrado de espaço físico ou espiritual desse universo infinito e na plenitude da eternidade. Como nos ensina Kardec, se um dos atributos da Divindade for falho, Ele deixa de ser Supremo.

Deveríamos colocar nossos olhos por mais vezes sobre o estudo do Sermão da Montanha exarado por Jesus, demonstrando-nos o valor real da fraternidade, da caridade e da igualdade. Onde aprendemos que o forte ampara o fraco, o sábio ilumina o iletrado, e assim tem que ser em todas as condições de vida do ser humano, que na verdade é um espírito imortal fazendo uma experiência humana.

Por isso nos caminhos da luz e na mão contrária, aquela que se desenha segundo a nossa rebeldia e comodismo, ou seja os atalhos das sombras, segundo a força do nosso pensamento e os lampejos do nosso amor, encontraremos quem nos ajude, nos encaminhe e proteja sempre.

Porque a Misericórdia é o hálito Divino soprando em nossa direção e a Justiça do Pai são os ventos erosivos que modificam as paisagens de nossa vida, estejamos encarnados ou desencarnados e Deus através dos que já vão a nossa frente aciona Sua Bondade em nosso favor.

Estejamos atentos as ações Divinas, porque o ‘Pão nosso de cada dia’ chegará sempre a mesa de nossas necessidades humanas e espirituais. E o perdão ás nossas dívidas se refletem na quantidade de vezes que já reencarnamos nesse mundão, buscando as soluções da luz e do amor, com as ferramentas do amor e do perdão.

*&*

Ademário da Silva

23 de agosto de 2017.