Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

A misericórdia do Pai vem adiante da Justiça… Nos braços de Seu amor por suas crias…

*&*

Da luz suprema à treva total, e vice-versa, temos o fluxo e o re­fluxo do sopro do Criador, através de seres incontáveis, escalonados em todos os tons do instinto, da inteligência, da razão, da humanidade e da an­gelitude, que modificam a energia divina, de acordo com a graduação do trabalho evolutivo, no meio em que se encontram. Cada degrau da vida está superlotado por milhões de criaturas… O caminho da ascensão espiritual é bem aquela escada mila­grosa da visão de Jacob, que passava pela Terra e se perdia nos céus… A prece, qualquer que ela seja, é ação provocando a reação que lhe corres­ponde.

Ministro Clarêncio… 

Do livro Entre a Terra e o Céu = André Luiz // Francisco Cândido Xavier.

*&*

Na contra mão da compreensão a assertiva popular de que: “Deus tarda, mas não falta”, apenas tem o seu sentido visto pelo retrovisor das necessidades humanas… Ao longo da vida tenho ouvido esse jargão popular, e hoje tendo a fala de Clarêncio como fonte de inspiração e espelho profundo da filosofia existencial, que semeada por Jesus, desde antes de sua estada nesse mundo de provas e expiações que é o nosso querido planeta Terra, enxergo as disposições mais simples do “amor ao próximo”, enquanto legado de luz deixado como herança espiritual, mormente na parábola dos talentos, em que as oportunidades e recursos são distribuídos proporcionalmente a capacidade de cada, e a orientação de que multipliquemos esses recursos, com base na lei de caridade, imantados pela fé que raciocina…

E aí alguém chega e diz assim: “Deus não escolhe os capacitados, mas, capacita os escolhidos”;… ( E eu fico á pensar com meus botões, porque haveria Deus de escolher os incapacitados em detrimentos dos outros, será que apenas para ter mais trabalhos…) Há controvérsias! Como se Deus estivesse brincando de cabra cega com suas crias, ás quais deu a vida, o tempo e todas as moradas de Sua casa para nos desenvolvermos.

E aí então entendemos com Clarêncio que no fluxo e refluxo da vida, aqui, acolá ou alhures, temos em nosso caminho os ‘seres incontáveis’, que chamamos de anjos da guarda, protetores e tutores e que se manifestam em nossa vida, segundo nossas necessidades, em todos os quadrantes do planeta, em todos os ambientes, em todos os tempos, ou seja, estejamos nós em tempos de luz ou de sombras, em tempos de dores e sofrimentos ou em tempos de aprendizados e trabalhos, em algum momento, por necessidade ou por incapacidade nossa, surgirão amigos, circunstâncias e uma gama imensa de ocorrências, trazendo recursos, incidências positivas e também soluções aos nossos problemas de momentos. Posto que ás vezes temos que seguir adiante, temos tarefas a serem realizadas, temos que firmar compromissos de variada ordem e se  nos faltam condições, até pelo enredo espiritual a que estamos vinculados. Seja um roteiro de lutas redentora, seja de expiações morais e espirituais.

É aqui que podemos entender o fluxo e refluxo de que nos fala Clarêncio, como o movimento da Bondade Divina em favor de seus filhos em provações.

Em todos os países, nas montanhas e nos desertos, nas favelas e nos palácios, o conforto e recurso, a mão amiga e a solução, o pão e o agasalho chegam de algum modo, fazendo valer aquela assertiva popular de “Deus tarda, mas não falta”;

Será que alguém é capaz de imaginar que Deus está ausente num milímetro quadrado de espaço físico ou espiritual desse universo infinito e na plenitude da eternidade. Como nos ensina Kardec, se um dos atributos da Divindade for falho, Ele deixa de ser Supremo.

Deveríamos colocar nossos olhos por mais vezes sobre o estudo do Sermão da Montanha exarado por Jesus, demonstrando-nos o valor real da fraternidade, da caridade e da igualdade. Onde aprendemos que o forte ampara o fraco, o sábio ilumina o iletrado, e assim tem que ser em todas as condições de vida do ser humano, que na verdade é um espírito imortal fazendo uma experiência humana.

Por isso nos caminhos da luz e na mão contrária, aquela que se desenha segundo a nossa rebeldia e comodismo, ou seja os atalhos das sombras, segundo a força do nosso pensamento e os lampejos do nosso amor, encontraremos quem nos ajude, nos encaminhe e proteja sempre.

Porque a Misericórdia é o hálito Divino soprando em nossa direção e a Justiça do Pai são os ventos erosivos que modificam as paisagens de nossa vida, estejamos encarnados ou desencarnados e Deus através dos que já vão a nossa frente aciona Sua Bondade em nosso favor.

Estejamos atentos as ações Divinas, porque o ‘Pão nosso de cada dia’ chegará sempre a mesa de nossas necessidades humanas e espirituais. E o perdão ás nossas dívidas se refletem na quantidade de vezes que já reencarnamos nesse mundão, buscando as soluções da luz e do amor, com as ferramentas do amor e do perdão.

*&*

Ademário da Silva

23 de agosto de 2017.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: