Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Minha amiga Débora!

*&*

Jesus, nosso amigo maior, há um bocado de tempo nos ensinou que “o espírito sopra onde quer”, e o que quer dizer isso?

Que temos em nós duas forças básicas que nos sustentam e direcionam a vida conforme nossas tendências e ideais…

O pensamento é a própria essência de ser de cada um de nós, que expressa-nos a alma, o caráter, as tendências, sentimentos, jeitos e trejeitos do jeito que a gente quer e sabe, consciente e inconscientemente.

Os nossos sonhos nada mais são do que a expressão da alma em suas viagens astrais, ou seja, a condição humana, a mescla entre o humano e o espiritual e a mais aprimorada que é totalmente espiritual, aquele tipo de sonho que amanhecemos num estado inexplicável de euforia, de gratidão ou de pressentimentos, se, no entanto decifrar a equação do ocorrido.

Na primeira versão onírica ficamos no absurdo das confusões psicológicas oriundas das preocupações materiais; a segunda nos mostra paisagens e pessoas, conversas e sentimentos incomuns ao nosso dia a dia, mas também nos provocam emoções e sensações mais sutis, daquelas que encontramos com entes queridos que já desapareceram de nossas vistas humanas, mas que o instinto imortal e eterno nos diz que estão em algum lugar, que por motivos humanos muito de nós não sabemos definir, mas ao senti-las guardamos no íntimo a felicidade de ser um espírito em tramitações terrenas, cursando um aprendizado de vida, segundo o que nos ensinou Jesus: “Aquele que não nascer de novo, não verá o Reino dos Céus”; foi quando o Nicodemos perguntou Mestre, tenho eu que voltar ao ventre de minha mãe para alcançar esse glorioso desiderato, ao que o Meigo Rabi respondeu questionando, tu que és doutor de leis desconheces essas coisas que muito importam a alma?

Pergunta cuja resposta mora na interrogação!  Essa é a terceira opção, que nos remete ao tottum de nossa condição espiritual, e tudo que nela vemos ou ouvimos não pertence ao mundo terreno, por isso só guardamos impressões e sensações indefiníveis desse tipo de sonho. É uma questão de bom mais do que de fé, até porque a fé enquanto aura espiritual passava pelo parto Crístico naquele momento, porque antes era exp0ectativas e esperanças nas palavras dos profetas, entre eles João Batista.

Jesus “inaugura” por assim dizer, o mundo espiritual e no caso dele o celeste, quando diz ao Tomé, não me toques porque ainda não fui ao Pai. E o pensamento é a ferramenta que o Pai nos outorga para que avancemos neste aprendizado humano para na verdade enriquecermos a alma, posto que tudo que aqui adquirimos de moldura e solidez material, aqui abandonamos quando também vamos ao Pai, ou seja, á vida espiritual. Enquanto essa hora não chega vamos utilizando essa ferramenta em benefício próprio, pois que ‘cada consciência evolui por si’, se auto inseminando a luz que emana de Deus e que nos chega através de Jesus.

E nós enquanto sensitivos existenciais, fazemos do Espiritismo e do Catolicismo as vias de captação de influências, inspirações e até intuições, e onde as verdades se encontram, se mostram compatíveis, descobrimos nossas afinidades, então o “Amar ao próximo como a si mesmo”, revela-nos o caráter e a essência da nossa amizade.

Valendo, portanto a assertiva do Cristo sobre o pensamento do espírito soprando aonde quer, que hoje recebe a ajuda da tecnologia utilizada para o bem e bem utilizada permite-nos o reencontro na versão amor fraterno à distância.

No seio da poesia do ser!

Versos silentes da vida!

No seio do poema,… Uma alma, uma palavra e uma brasa,

Na palma de um verso,… Um sorriso abrigo da força.

Na palavra que rima,… A vida, semente, flor e raiz…

Na vida que ensina,… Um cortejo.

Na boca que canta… Pragas, rezas e beijos.

Na mão que recria o destino… Atitudes, dores e solfejos,

No sonho da alma… Um canto, o éter como se fora um acalanto,

Na inocência do sonho… A fantasia e a ilusão qual um estribilho,

Estrela cadente… Andarilho.

Cicatrizes e espinhos… Um manto. 

Na imagem que cria a rima,… Um sentido.

No sentido da rima,… Um vestido.

No vestido da vida,… Uma mulher.

Na mulher da vida,… Um destino.

Na vida da mulher,… Um menino.

Jesus sacrifício,… Um Cristo de Luz…

Beijos no teu coração!

Do amigo Ademário da Silva

São Paulo, 10 de agosto de 2017.

 Débora Siqueira mora em Passa Quatro, mas já morou na Itanhandu mineira…

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: