Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Todos os nomes e vidas…

*

É noite no azul do meu planeta

Ao olhar pela janela o lusco-fusco das estrelas

Vejo e sinto um tom de infinito, de imortalidade e eternidade,

Ao cair da tarde da saudade

No seio da inspiração

A saudade veste história de amores e de amigos

E os afetos da afinidade ganham cores e sorrisos

No olho da saudade

A emoção já se transforma em rimas

Na esquina do mesmo tempo

Num momento o Pizindin

Eduardin tão Ademário

Enriquece esse cenário

Que é de amor e de saudade

E as verdades embutidas

Nessas vidas tão infindas

São poemas, são falenas,

Que sobrevoam corações

Vejo mundos, vejo vidas em seus tempos,

Vejo tardes esquecidas entre os dedos da saudade

Misturo rimas com estrelas

E de medo de perdê-las 

Estreito-as num poema

Meu coração chora, sorri e canta,

A beleza é tanta porque a vida continua

E tão nua entre as estrelas

A saudade é minha musa

Mesmo que a lua se enciúme

O perfume é de luz e de amor!

*

Ademário da Silva

25 de março de 2017.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: