Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Minha amiga mais que especial… E sobrinha…

Patrícia do Nascimento…

Eu avisei-te que ia voltar…

#

A nossa amizade tem a confiança de tempos imortais

Eu já vivi em seus dias e dormi em suas noites

Sabendo que seus sonhos cobriam meus ideais

Hoje por motivos óbvios das necessidades

A verdade tem outras conotações

#

Relendo o livro do tempo com os olhos da alma

E de cursor em punho, as folhas virtuais pareciam soltas,

Desencravadas e embaralhadas e quando eu escrevia,

Tentavam escapar ás minhas ações como quem foge aos meus pensamentos

Parágrafos desconexos pareciam ter fugido de outras páginas

E criavam espaços vazios que pareciam sem sentido no livro da vida

Como um quebra cabeças recortado da tua história

E minha memória insistia em religar…

#

Despertei, pois houvera desprendido do corpo e as imagens,

Daquele livro virtual vieram á tela da minha consciência objetiva

Fazendo-me crer que os espaços vazios são oportunidades desperdiçadas

Que aquelas páginas de sua vida, soltas num caleidoscópio, mas presas em compromissos á serem desvendados por ti, carecem hoje da logística espiritual para se colocarem novamente na ordem do universo.

E vais me perguntar: á que preço? E eu que de fato ainda não sei a necessidade do que preciso e o valor do que eu peço.

Será que eu mereço?

Ouças no fundo da alma e na palma do coração, minhas respostas…

Os seus atropelos são novelos para tecer a simplicidade, pra afundar sua raiz nas terras da verdade…

A mística já foi atalho de outros labirintos

Não minto, nem invento, apenas te amo pelo tempo, mas pra vires até mim,

É preciso sorrir, desvendar, iluminar, resolver e decidir,

Se auto resolver nas palmas da consciência e não mais do que você pensa

Sair de dentro de si, amando-se enquanto espírito, por que a carne é passageira,

Passageira das tuas necessidades, que vai te trazer algum conforto, mas mesmo pra isso,

Que chamarás de muito pouco, é preciso coragem…

Mas, não é essa coragem transitória que chora entre portas fechadas ou mesmo no silêncio do travesseiro…

Mas, a coragem do lavrador e do jardineiro que enfrenta o tempo e todos os climas,

Com calos nas mãos e sorrisos nos gestos e nos olhos não põe preço nos seus sonhos,

Não é a coragem do faço quando preciso, mas do tempo inteiro, na planície, na montanha, no deserto ou no despenhadeiro…

Todo espírito é um poema em aberto

Seus versos são conquistas de alto custo na esteira da evolução

Hoje, tudo que tu enxergas são papéis amassados, sonhos inacabados e vontades perdidas,

Na vida, cada vez que a gente erra, é acrescida uma equação de guerra, de luta, de dor e sofrimento, pra que descubramos o valor do tempo e o gesto oportuno de Deus…

Filha querida do meu coração longevo, sonho indormido das minhas afinidades, pisa nesse chão filha, ele é teu e te dará o que precisas…

Mas, não confunda coragem espiritual com ser brava e atrevida, por que isso é moeda de pouco valor que o enrugado da pele desacredita…

Amor cresce na rocha enfrentando durezas, atravessa desertos pisando em escaldante areia, amor não é só lua cheia e estrelas saltitantes num firmamento distante da realidade de um mundo em provas…

Ele o amor é a cara nova e risonha que desperta, nas manhãs nubladas e ás vezes tempestuosas, porque carrega em si a semente do pêssego e o perfume da rosa como se fossem carismas inseminados nos desejos, na vontade e principalmente na liberdade de ser sem exigir, cobrar ou se impor…

Você tem dentro de si o que precisas

Rasga o carisma e tira-lhe a ova

Saia dessa prova dos noves

Que já não te comove

Teu nome Patrícia á lembrar-te a nobreza

Dos dias vividos em tempos distantes

É a estante das tuas lembranças que a matéria ofusca

É só o que posso te adiantar…

Lembra-te de raciocinar com leveza

O poder dos altos humanos

Não se equipara ao valor da semente

Que sonha no escuro da terra

E leva-te o pão á mesa…

O momento é propício e nunca te esqueci, como pensas e até imaginas que sentes,  

Eu estive no dia do parto e na noite da dor…

Você não me imaginou

E agora te peço como amigo

Releias papiros e pergaminhos

Livros e versos de liberdade

Ferramentas você ás tem

Amizade, afinidade mediunidade e capacidade…

Que Deus te abençoe sempre

Espero-te nas tribunas…

Beijos e abraços fluídicos

Não me revelo ainda

No espelho do tempo eu deixo

Meu reflexo amigo!

#

Ademário da Silva

22 de outubro de 2016.

#

Comentário da Paty…

#

Patrícia e a gratidão…

#

Tio
Eu fiquei realmente muito tocada com essa mensagem, não sei nem o que dizer.
Me subiu um calor e senti um afago espiritual indescritível.
Terei que reler várias vezes para absorver tudo que preciso.
Não consegui identificar quem a fez, no entanto tenho certeza que faz parte da caminhada.
#

Sou grata por ter recebido este amparo espiritual neste momento que tanto necessito de sabedoria.
#

Um grande abraço  

Patrícia do Nascimento

 

22 de outubro de 2016

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: