Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Ensaios naturais….

#

Areia que o mar rejeita semeia praia na orla

A água que o céu não gruda é chuva ou tempestade

A cara da vida nunca teve duas metades

A sombra brinca com a luz nas curvas de algum segredo

O medo que mora em mim é defesa de integridade

A noite mistura estrelas, lua e um tal de mistério

E o sol com sua boca de luz aquece, fecunda e germina

A menina que embala bonecas ainda não sabe que o útero é uma sina

Tudo tem um sentido divino ainda que eu desconheça

A tarde é a manhã que descansa no colo da transformação

O inverno é uma placenta silente   que aguarda os espasmos da luz

A vida que cria e sustenta é frágil ante as tormentas

As águas dos rios e dos mares, as águas do choro e do parto

Refrescam, fecundam e encharcam, a alma, o homem e o fruto

A terra que sustenta o prédio é o manto que silencia a vida

A mãe que canta terna e suspensa não pensa em si depois da cria

O dia a cavaleiro da luz tem a carreira voraz

A cria que hoje depende, acende o livre arbítrio em seu ser

Nos toma o tempo e o saber e segue em busca de si

O giro da Terra ilude o calendário que a muitos escraviza

A brisa que refresca o clima avisa que a mudança vem perto

O certo é que ninguém tá certo do certo que criou pra si

A roda do carro de boi vovô construía e consertava

Papai foi para escola descobrir a velocidade da lua e a impermanência

Mamãe no crochê, no bordado e na paciência abraçou-se com a saudade

A infância virou maturidade no atrito com a necessidade

O cateto oposto e o adjacente obriga a hipotenusa a ter seu valor

Apesar da desinência muitos verbos são flexíveis

O amor nem sempre vem acompanhando a libido

E o coração fica acordado na noite que não sonhou….

Roda vento e gira a vida na espiral de todo destino

No ‘m’ da mão de todo menino a cigana não faz vaticínios

A magia da vida é sempre certeira com pés descalços, TCC ou algibeira

A luz que ilumina só o intelecto não muda o aspecto espiritual

O arquiteto e o médico, o esquadro e o bisturi

A minha reza não é mais um sonho de que em toda dor Deus ponha um fim

E como na vida nada termina a rima é a eternidade

A saudade é um verso e um laço nos quintais do amor e da amizade!

#

Ademário da Silva

14/março/2015.

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: