Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Homenagem para o papai Francisco Ademário da Silva

(10/10/1910 á 11/02/1954.

 

A certeza, quando fecundada com a fé abre as luzes da felicidade em cada caco de simplicidade.

A amizade é o amor em silêncio/

O amor que dá um jeito/

O amor que não se mede, como diz a canção/

A amizade é o amor em oração

Que não se pede

Por que é intuição

Entre o verso e o coração

Que se encontra

Frente a frente ou a distância

No mesmo diapasão!

#

Ademário da Silva.

07/outubro/2014

###

Eu, por que vivo?  E nós, por que estamos aqui?

#

Por que eu vivo

Se o mal agride

E a sombra insiste

Em rolar a dor

Pro meu destino

Mamei no peito

Já fui menino

Criei meu compasso

Não meço abraços

Não choro pitangas 

E não me domina cansaço

O tempo caminha sereno e veloz

Me enruga a pele e não se comove

A prova dos nove sempre em silêncio

O vento levando folhas secas

E as árvores em silêncio se auto engravidando

A vida não para mesmo depois da morte

Deus é a suprema placenta

Nada se ausenta, apenas se modifica

O rio corre pro mar e as almas pros céus

Muda-se a vestimenta

A saudade é uma hipotenusa

Que recalcula o tempo de quem fica e de quem vai

A vida é um dos sentidos divinos

O olho de Deus nos horizontes da liberdade

Suas mãos misericórdia

Nossas vidas, … responsabilidades

O tempo que marca o ontem, hoje e amanhã, … ilusão

Gerações se sucedem e sonhamos com os reencontros

O caminho é nosso, a fé é o farol

Ir e vir, o direito inalienável de existir

Acreditar, … não tem preço

Se confiamos na eternidade que o Pai permite

Não há por que ficar triste

Quando alguém viaja pelos insondáveis horizontes!

#

Ademário da Silva.

10/outubro/1910, o dia que papai reencarnou…

E desencarnou no dia 11/fevereiro/1954.

Há exatos 60 anos, papai, Francisco Ademário desembarcava na outra dimensão

Hoje a saudade dita os versos

Mexe com a memória

Reaviva lembranças

Contigo eu não vivi e nem conversei

O amor de mamãe revelou

A limpidez do espelho

Onde me mirei

Um dia a gente se vê e se fala

E eu ponho a saudade no canto

Mais espremido da sala.

#

Um abraço de luz da saudade que aqui me sustenta

Saudades meu amigo, meu querido pai!

Beijão em sua alma!

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: