Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

 Viva agora, o que foi é só constituição do todo ainda incompleto!

#

Nas poeiras do passado ainda que salpicadas de brilhos

Só encontramos coisas feitas,

Beijos dados, abraços lembrados, erros cometidos

E acertos pequenos, sorrisos amenos e até gargalhadas

Separe-se o trigo do joio e quase nada sobra

A obra que fora um dia sonho, pra uns tormentos medonhos

Para outros, lembranças inertes, parece um flerte com o já vivido!

#

Tem é claro coisas lindas pregadas nas paredes da memória

Mas, a história agora mora nas páginas do destino

E aquele menino, aquela menina são espasmos de luz de estrelas

Longe da realidade, mas presente na saudade, no bem viver e na dignidade

Tem o samba bem dançado, a canção preferida, a amiga dileta

Mas, sempre tem uma seta indicando os caminhos do amanhã

Páginas de um livro escrito, ás vezes sob a quentura do suor,

Ás vezes molhadas de prantos empurradas pros cantos mais estranhos de sonhos não esquecidos

A maturidade não se comove, mas não deixe que ela remova os perfumes de suas alcovas

De suas cabanas e recreios, os encantos de seus seios e a beleza dos sorrisos

Deixe sua alma de prontidão na alegria ainda que o dia seja cinzento

E se o passado lhe incomodar dê-lhe notas de esquecimento

Por que o tempo não te reprova, mesmo que aceites as rugas que a vida lhe imponha na pele!

#

O passado é uma experiência inesquecível, mas só serve para o que serve… lembranças

Livros lidos, sorrisos esparramados a granel

Anéis de compromisso com a vida

Que não se prendem aos dedos rotulados da vida

Mas, que revelam a grandeza das rugas, a palavra cadenciada, pois não há mais pressas

O silêncio da alma que não mais se abala com ocorrências impermanentes!

E a tal de libido, impulsos decididos, acariciados pelo amor

Hoje se veste de cumplicidade com dignidade e elegância

O verão não é presente num inverno mal vivido

E o outono meu querido sempre é semeadura nos leitos dos rios

Nos campos vazios, entre montanhas e rochas

Surgem flores, surgem frutos que alimentam o cotidiano

Planos ditados por Deus em nossos caminhos

Chegam saudades e separações indevidas, lições algébricas espirituais

Mas, o casamento entre o amor e a vontade geram a decisão da convivência

Excelência da afinidade

E cada dia, as vezes mal interpretado, são grãos de luz na conjuntura da obediência

Resignação é a paciência da compreensão

Disse-nos o Mestre de todas as luzes:

“Não se aflija os vossos corações, cada dia a si se basta em suas necessidades”

Na verdade a fé que ilumina-nos o caminho, as vezes chega frustrada pelas indecisões

E a vida segue sempre em frente, não se altera por suas reclamações

E nesses versos que mal descrevem a pujança da vida

Tributo a minha preta Cristina

Luz diamantina do meu viver!

#

Te amo Cristina enquanto Deus permite

O meu coração que o nosso viver assiste

Está cheio da nossa vida, amizade, amor e cumplicidade!

#

Beijos em sua alma nos tempos acrescidos!!!

#

Ademário da Silva

18 de agosto de 2014

Sejamos sempre felizes em todos os dias do nosso casamento!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: