Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

O Evangelho segundo o Espiritismo

CAPÍTULO IX – BEM-AVENTURADOS OS QUE SÃO BRANDOS E PACÍFICOS

A obediência e a resignação

8. A doutrina de Jesus ensina, em todos os seus pontos, a obediência e a resignação, duas virtudes companheiras da doçura e muito ativas, se bem os homens erradamente as confundam com a negação do sentimento e da vontade.

A obediência é o consentimento da razão; a resignação é o consentimento do coração, forças ativas ambas, porquanto carregam o fardo das provações que a revolta insensata deixa cair. O pusilânime não pode ser resignado, do mesmo modo que o orgulhoso e o egoísta não podem ser obedientes.

Jesus foi a encarnação dessas virtudes que a antigüidade material desprezava. Ele veio no momento em que a sociedade romana perecia nos desfalecimentos da corrupção. Veio fazer que, no seio da Humanidade deprimida, brilhassem os triunfos do sacrifico e da renúncia carnal.

Cada época é marcada, assim, com o cunho da virtude ou do vício que a tem de salvar ou perder. A virtude da vossa geração é a atividade intelectual; seu vicio é a indiferença moral. Digo, apenas, atividade, porque o gênio se eleva de repente e descobre, por si só, horizontes que a multidão somente mais tarde verá, enquanto que a atividade é a reunião dos esforços de todos para atingir um fim menos brilhante, mas que prova a elevação intelectual de uma época. Submetei-vos à impulsão que vimos dar aos vossos espíritos; obedecei à grande lei do progresso, que é a palavra da vossa geração. Ai do espírito preguiçoso, ai daquele que cerra o seu entendimento! Ai dele! porquanto nós, que somos os guias da Humanidade em marcha, lhe aplicaremos o látego e lhe submeteremos a vontade rebelde, por meio da dupla ação do freio e da espora. Toda resistência orgulhosa terá de, cedo ou tarde, ser vencida. Bem-aventurados, no entanto, os que são brandos, pois prestarão dócil ouvido aos ensinos. –

Lázaro. (Paris, 1863.)

 

 

A obediência é o consentimento da razão;

A resignação é o consentimento do coração;

A lei de Deus está formulada nos dez mandamentos seguintes:

I. Eu sou o Senhor, vosso Deus, que vos tirei do Egito, da casa da servidão. Não tereis, diante de mim, outros deuses estrangeiros.

II. Não fareis imagem esculpida, nem figura alguma do que está em cima do céu, nem embaixo na Terra, nem do que quer que esteja nas águas sob a terra. Não os adorareis e não lhes prestareis culto soberano. (1)

II. Não pronunciareis em vão o nome do Senhor, vosso Deus.

III. Lembrai-vos de santificar o dia do sábado.

IV. Honrai a vosso pai e a vossa mãe, a fim de viverdes longo tempo na terra que o Senhor vosso Deus vos dará.

V. Não mateis.

VI. Não cometais adultério.

VII. Não roubeis.

VIII. Não presteis testemunho falso contra o vosso próximo.

IX. Não desejeis a mulher do vosso próximo.

X. Não cobiceis a casa do vosso próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu asno, nem qualquer das coisas que lhe pertençam.

É de todos os tempos e de todos os países essa lei e tem, por isso mesmo, caráter divino.

**************************************************************************

Ligeiros apontamentos

***

A razão que se ilumina obedece a lei natural e Divina pelos caminhos da lógica e da sensatez.

***

Desde Moisés aos nossos dias, os dez mandamentos são as insígnias diamantizadas pelo bom senso e a obediência… Roteiro de paz nos relacionamentos sociais, nos seus mais variados matizes… Em família, no trabalho, na hierarquia da vida em fim…

***

Filhos obedecendo os pais. Pais orientando os filhos… Operários obedecendo à hierarquia nas relações trabalhistas e enquanto homens e mulheres comuns curvando-se ás autoridades administrativas da sociedade. Até por que esse é um exercício menor pois que transitório em sua essência e raiz, mas que nos leva pelo hábito, usos e costumes a nos posicionarmos na esteira da imortalidade com a dignidade que a nobreza espiritual exige.

***

Obediência é o delta que equaciona as raízes das relações espirituais no tempo e no espaço, fazendo florescer a harmonia enquanto moldura da paz entre as partes em contato…

***

Enquanto se obedece no prisma da compreensão à evolução é caminho de aprendizado estreito, mas reto sem sustos ou abismos de sombras e sofrimentos. Estreito por que o aprendizado requer vontade e esforço aplicados no sentido da luz que se busca… Ou se tanto, os exercícios serão a somatória de erros e acertos sem o comprometimento moral, que orgulho e egoísmo plantam nas sendas das experiências de cada um…

***

Por isso Lázaro se nos demonstra com extrema felicidade que “a obediência é o consentimento da razão”. A racionalidade do aprendizado e da aplicação do mesmo sobre nossas próprias necessidades é o caminho da compreensão. Eliminar do nosso modo de ser e pensar e sentir a autocomiseração, a auto vitimização fácil e injustificável, principalmente quando a promissória estampa a nossa assinatura existencial…

***

Obedecer por amor e compreensão e também quando a dor e o sofrimento são o látego que indica o caminho da redenção, da supressão de erros pregressos na solução dos relacionamentos imortais…

***

Resignar-se diante de tão sábias leis é compreender o próprio tamanho espiritual e importância no conserto da vida universal… É alcançar a medida real da humildade na relação com o Criador, a Suprema Inteligência do Universo, causa primária de todas as coisas…

***

A resignação é o consentimento do coração;

***

Resignar-se é amar com compreensão e obediência, amando-se a si e ao próximo e á Deus acima de todas as coisas… É extinguir orgulho, egoísmo e vaidade por que são empecilhos desnecessários á evolução…

Resignar é consentir que só o amor é capaz de construir e reconstruir nas terras do tempo…

***

Quem ama consente que o outro possa errar por que desconhece os teores da lei divina e natural, ou por que se encontra em faixa de desequilíbrio e revolta doentia… Quem ama espera que o outro evolua e até o incentiva na medida do que seja possível, até que ele alcance o mesmo padrão vibratório, e aí as dissensões, desavenças e desentendimentos se diluem no amor que se renova…

***

A virtude da vossa geração é a atividade intelectual; seu vicio é a indiferença moral.

***

Se ainda em nossa geração a atividade intelectual é uma virtude pelo avanço atingido no campo das conquistas gerais, observamos ainda que a indiferença, tal como na afirmação de Lázaro, é mesmo um vicio de conduta e comportamento, como se houvera entre nós melhores e piores no seio da sociedade, por que por conveniências nascidas do egoísmo e do orgulho, esquecemos ou pretendemos esquecer que vivemos num mundo de provas e expiações…

***

Nas horas de dores e sofrimentos coletivos nos juntamos quais penitentes temerosos, quando a tempestade passa, o calor da solidariedade que deveria permanecer no cotidiano, se esvai como que por estranha magia, é um momento que mais parece um tormento do que uma realidade constante, tal como deveria ser ao obediente da lei divina e natural…

***

O individualismo parece operar um distanciamento temerário que só o sofrimento preenche.

***

Por isso a conquista de valores espiritualizantes é o caminho de uma conduta mais saudável e condizente com a nossa própria realidade espiritual, por nossa própria imortalidade tão decantada por todas as religiões, que são patamares de entendimento proporcionais aos mais variados estágios de compreensão em que nos encontramos…

***

Eis por que Allan Kardec asseverou com seu acentuado bom senso: “O Espiritismo não dá o que pensar, ele nos ensina a pensar”. E o Evangelho que se nos evidencia o Cristianismo redivivo, é o manancial de informações, de ensinamentos e de princípios que temos, sempre, de estudá-lo e vivenciá-lo com a dignidade que ele nos pede…

***

Os dez mandamentos são apenas a primeira cartilha na senda da evolução espiritual…

*****************************************************************************

Ademário da Silva @*@*@*@ = 04/fevereiro/2011

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: