Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Mulher de todos os cantos da vida...

Mulher Poesia da Vida

Há uma Mulher na Somália

E meu coração contracena entre a dor e a verdade

Até quando a miséria e a violência vão entrar

Pelo útero feminino como um tiro de morte na alma da vida

E são burcas e correntes indecentes, imorais

Em Angola tem outra Mulher  que guarda-nos os ancestrais

Nos brazis abandonados e na Nigéria

A menina é a miséria desumana

Que a política avarenta e truculenta estrangula

Essa menina quando ovula clama aos céus que o feto não vingue

Cuja sobrevivência se extingue nos estertores da inanição

***

Na Somália e em Angola e nos brazis abandonados

O dia internacional da mulher em si se desfigura

Na clausura dos ideais e no avanço do descaso e da mortalidade

E não é por acaso que ali a fome é o retrato da infelicidade feminina

Angola, Somália, Nigéria e Namíbia, no Brasil e no mundo

O descaso é profundo

***

E como nos rios, na floresta e no iceberg a ambição vergasta

Na menina, na mulher madura e na idosa

Não há rosa capaz de perfumar a desgraça  e a violência

Até por que, perfume, glamour e salto alto, misses e top models

Ditadores, ministros e presidentes

A “economia” e os preconceitos são podres ataduras

Nas feridas morais da existência!

***

Há uma mulher no canto do mundo, no meio da vida

Sustentando tudo, amor proteção e guarida

Há uma mulher pisando no chão e tendo calos nas mãos

Outra no abismo do aborto, seu sorriso morto, seu útero é só feridas

Meninas amedrontadas pelas sombras malignas da pedofilia

A vida, a paz e a ética paraplégica se esvaindo no desrespeito-hemorragia!

Há uma mulher na vida outra no silêncio de olhar pregado nos céus

***

Há uma mulher que reza outra que esmurra

Uma que espera, outra que chora e outra que atura

Há uma mulher que defende, outra que agride e outra se arrepende

E até a dor dessa vida parece ser feminina ferida á cercear-lhe os passos

Mas, é em seu regaço que a luz se acende e a vida progride

E já são algumas Indiras e outras Mahins e tantas Teresas sem Calcutá

E Leilas Diniz já estão no caminho cruzando horizontes, construindo pontes

E são Marilenas e também Coralinas e a minha Cristina e também minhas filhas,

Na ordem inversa das idades A Vanessa, a Daniela e a Janaína

A minha neta Mylena e também as minhas amigas, doces cantigas á me incentivar!

***

Ademário da Silva *** 13/março/2010

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: