Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Talento, Vozes e Atitudes em amor ao próximo…

Um tributo á Violeta Parra e Mercedes Sosa e Martinho da Vila

Agradeço a Vida

Leci Brandão

Composição: Violeta Parra –

Versão de Martinho da Vila

Vou viver a vida,
Sempre amando tanto,
Com estes dois olhos,
E quando os abro,
Defeitos extingo,
Do negro e do branco,
E nos altos céus,
Seu fundo estrelado,
E nas multidões,
Vejo a mulher que eu amo.

Gracias a lá vida,
Que me há dado tanto,
Tenho dois ouvidos,
O que quero escuto,
Gravo noite e dias,
Grilos e canários,
Martelos, turbinas,
Ruídos, chocalhos,
E a voz tão eterna,
De um amor amado.

Gracias a lá vida,
Que me há dado tanto,
Tenho sentido,
Do abecedário,
Com simples palavras,
Eu penso e declaro,
Pai, amigo mano,
E o que estou criando,
Labutando n’alma,
Do que estou amando.

Agradeço a vida,
Que me tem dado tanto,
Me dá sempre força,
Pros meus pés cansados,
Com eles descubro,
Cidades e charcos,
Praias e desertos,
Montanhas e lagos,
E na sua casa,
A sala e o quarto.

Gracias a lá vida,
Que sempre fez tanto,
Fez um coração,
Que agita o sangue,
Pra regar as flores,
Do cérebro humano,
Cérebros fecundos,
Que dão frutos raros,
Que eu vejo no fundo,
Dos teus olhos claros.

Gracias a lá vida,
Que sempre deu tanto,
Dá panos pra vista,
Enxugar os prantos,
E assim se distingue,
Feitiços, quebrantos,
Descubro as coisas,
Que formam meu canto,
O canto do povo,
É um soberano canto,
E o canto dos povos,
Lamentosos prantos,
E o canto de todos,
É o meu próprio canto.

*********************************************

A vida se expande infinitamente no coração de Deus

O tempo é o lençol de luz que lhe agasalha em todas as dimensões

O dia caminha sob os lençóis da luz que a vida germina

É uma sina, um destino ou um dom

Não…

É o fruto majestoso das leis naturais e divinas

Que alcança o mineral, o animal a flora e o homem

Sem lhes fazer distinção

O tempo é um segredo Divino á amparar-nos os passos

Pelos caminhos da dor, da luta, da luz e da glória que a imortalidade apregoa

Entre dias e noites, o açoite das provações

Que a oração, a fé e o conhecimento balsamizam

E higienizam-nos a alma

Nosso corpo instrumento pra se viver

Olhos que enxergam a luz e a beleza, o próximo e as certezas

O cérebro que manifesta o que nos vai á alma

A boca que exala palavras e beijos

Conselhos, orientações e desejos

Ouvidos pra escutar os sons de todos os corações

Cantigas e necessidades, rezas e verdades

Mãos pra trabalhar, criar e indicar os modos benignos de luta

Na arte, na fé e na conduta

Acariciar, afagar, cingir bandolins e violões

Os nossos pés para singrar os caminhos

Das descobertas, dos reencontros e conquistas

Oportunidades vivas de renovar emoções

Viver em sincronia com a natureza

Na mais fraterna realeza espiritual

Graças á Vida eu sou, interajo e penso em mim e nos meus

Em versos secos ou densos

Descubro a cada rima… Sou filho de Deus!

**********

Ademário da Silva **** 29/agosto/2009

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: