Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Da Lei da igualdade ou da igualdade de ser

Tudo se nos pode parecer estranho, esquisito ou até injusto quando enxergamos a vida pela ótica do imediatismo, do nosso ponto de vista, do nosso egoísmo e principalmente da nossa avareza ou do comodismo que se nos habilita a inveja, quando focamos, procurando comprender a vida e suas consequências e as suas implicações.

Quando se trata de posições sociais, culturais, intelectuais, posições de mando e poder, a divergência de opiniões e conceitos, as interpretações variam do zero ao infinito.

Quando se trata de pedir á Deus explicações então os nossos tímpanos só ouvem as nosssas necessidades e pouco se importam com leis e regras, normas e condutas, estudos e aprimoramentos, compreensão e entendimento…

Queremos na verdade estar bem, preferencialmente sem nenhum tipo de problemas ou doenças, pobreza então… há meus “Deus afasta de mim este cálice”!!!

Muitos gostariam de ter todos os problemas que os ricos têm, desde que fossem ricos também, não se importariam com o tamanho do amargo, afinal o dinheiro compensaria tudo, até as contravenções de varia ordem. Ninguém gostaria de ser pobre, disso não se guarda dúvidas. Afinal a riqueza nos dá status: transitório, problemático e comprometedor… E deve ser deveras constrangedor explicar á própria consciência, de modo aceitável e convincente, todo gasto desnecessário, a contundência das aparências e mesmices; a danada da hipocrisia nas relações interpessoais…

Explicar ao Pai e Criador do Universo os versos mal rimados, nas atitudes do dia á dia, investimentos inúteis nos contornos da vaidade, a deselegância da alma no trato com o próximo. E a responsabilidade então com geração de emprêgos que implica diretamente no destino das pessoas, e quando surgem econômicas crises, na marquise da solidão, tomar decisões, gerar mais pobrezas.

O cadinho da riqueza traz em si o aço mais difícil de fundir, exigindo altos desgastes morais do espírito nela envolvido e, ainda de modo transitório, tão passageiro…T

Nos braços da imortalidade

Nas veias da reencarnação

A riqueza é a prova

E com certeza a pobreza

Se faz doída expiação!

Reencarnar é voltar ás salas de aula da vida. Entre provas e expiações trocamos de posições por necessidades e correções. Por possíveis desmandos, por erros de ilusões a pobreza é a medida de acertadas avaliações.

Se em meio á fortuna sucumbimos aos embates o dinheiro com certeza não foi a causa, mas, simplesmente o nosso modo imperfeito de ser, de agir, de pensar e fazer…

O que permitiria a igualdade na distribuição da renda no mundo com certeza seria a igualdade de ser, o que para os próximos séculos ainda encontra obstáculo para acontecer. Por isso o Evangelho segundo o Espiritismo afirma da dificuldade de se resolver esse problema pelo viés da ótica da imperfeição humana.

No seio da pobreza o espírito endividado moralmente tem a oportunidade de rever seus conceitos, seu entendimento, de aprender economia nos braços da restrição, das dificuldades que o desemprego, que a falta de uma profissão, a ausência de um certificado de escolaridade contribuem sobremaneira nos dramas que a pobreza engendra…

Num mundo de provas e expiações a pobreza, a riqueza, a saúde e a doença são pesos de igual valor na balança da evolução.

“A pobreza é, para os que a sofrem, a prova da paciência e da resignação; a riqueza é, para os outros, a prova da caridade e da abnegação.” ESE, Cap. XVI, Item 8

Ter paciência e resignação diante das vicissitudes requer a reeducação de si, na compreensão dos valores das leis naturais arquivadas por Deus em nossa própria consciência…

Trabalhar em si mesmo a caridade e a abnegação é exercitar o mandamento maior deixado por Jesus: Ama ao teu próximo como a ti mesmo e á Deus acima das ilusões mundanas…

A pobreza vista pela ótica da lei de causas e efeitos é o bisturí a corrigir defeitos, á indicar simplicidade no combate ás vaidades, é a espada de Dâmocles enquanto preocupação constante exigindo-nos o desenvolvimento da inteligencia e de talentos que nos permitam sobreviver espiritualmente nos degraus da fé e da esperança, repaginando a própria alma nos caminhos que levam á Deus…

Da Lei de Igualdade

“A desigualdade das riquezas é um dos problemas que inutilmente se procurará resolver, desde que se considere apenas a vida atual.” ESE, Cap. XVI, Item 8

“Todos os homens não são igualmente ricos por uma razão muito simples: por não serem igualmente inteligentes, ativos e laboriosos para adquirir, nem sóbrios e previdentes para conservar.” ESE, Cap. XVI, Item 8

“A pobreza é, para os que a sofrem, a prova da paciência e da resignação; a riqueza é, para os outros, a prova da caridade e da abnegação.” ESE, Cap. XVI, Item 8

Ademário da Silva So. Esp. Facho de Luz e Caridade

SOESFALUZCA 17/ fevereiro / 2009

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: