Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Tiradouro Preto

 

Mariana, Tiradentes e Ouro Preto,

Lugares onde a liberdade por amor se aninhou,

Apesar do escravo-garimpo, das mortes e dos guetos,

A raiz do futuro livre floresceu e vicejou;

 

A verdade, diamante ainda impuro!

A liberdade, negra-esmeralda escorregadia,

Entre sonhos e senzalas, dores e agonias,

Na bateia dos sacrifícios se detinha;

 

Nas pedras sob seus passos, ruelas e troncos,

Pessoas, padres, militares e intendentes,

Negros desavisados, interditos e inocentes

Palácios, igrejas cadeias e Casa de Contos,

Sementes da história dos inconfidentes

 

Canções, versos, traições e amores ardentes;

Nos trabalhos do artista Aleijadinho a ousadia,

Nas atitudes do alferes, a coragem no tom ideal,

Na resistência do negro mistério e magia,

Nos versos do Gonzaga ou nas rimas do Cláudio M. da Costa

Os sonhos virados de costas pros dias de então

E mesmo assim a escultura e a canção, a pintura e a poesia,

Fizeram eternas a cultura, a raiz e a alforria!

 

Nas ruas pisadas pelos mesmos pés de outrora,

Verdades que a vida não esquece,

Saudades que só a alma emociona,

Inscritas no tempo e na memória!

 

Imagens que a arte eterniza,

Detalhes d’um pensamento conjunto

Nas brumas dos sentimentos vividos,

Reprises em sonhos do mesmo assunto!

 

Momentos que a eternidade reencena

Nos caminhos impregnados de resquícios,

De sonhos interditos, de cicatrizes em agonia

Princípios que só o entendimento descerra,

Nas manhãs em que a luz predomina!

 

 

     S             audade que te espreita os sentimento

     O            ntem que se escancara somente agora,

     N              os passos que Deus reprisa,

     I                 ndagações, procuras e cismas,

    Á               gua-furtada nos escaninhos da consciência;

   *********************************************

   E                spavento que o retorno se nos prega.

  **********************************************

   Z                agal, maior de todos os profetas, ainda pastoreia,  

                        pelos escaninhos das necessidades de agora…      

    I                nsinua o passado, as passarelas do amanhã!

 

Ademário da Silva.

20/09/89.

 

Sônia e Zedequias foram amigos, cantores do coral Brilhe a Vossa Luz, freqüentaram as reuniões de estudos sobre mediunidade, doutrina e evangelho; sobre artes espíritas e ensaios musicais.

Sônia partiu para o mundo espiritual, tem mais de uma década, o “Zi” como chamávamos seu companheiro, perdemos o contato, também tem muito tempo…

 

Justo registro de suas presenças em minha vida enquanto amigos e parceiros de tarefas espíritas e mediúnicas…

Lá no Centro Espírita Jesus, Maria e José…

 

Repaginei esses versos que retratam a viagem que os dois Sônia e Zedequias fizeram a Ouro Preto, em setembro de 1989…

 

E banhados pela emoção que a experiência propiciou, contaram-me entusiasmados tudo que viveram naqueles dias em Minas Gerais, terra dos meus ancestrais dessa atual jornada…

 

São Paulo, 05/setembro/2008

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: