Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Silêncio e solidão… ******************************************

Em silêncio a alma mais sente do que pensa

E do que pensa tira as palavras humanas

Da beira da vida, do meio do mundo ou debaixo da cama

No meio das dores, em cima da alegria e as vezes na lama

E as traz pra dentro de si, apenas como imagens

Imagens medrosas, imagens formosas

Estranhas, esquisitas, imagens inteiras e aos pedaços

Imagens ocultas e imagens explícitas

Do mundo de sombras ou de luz do seu próprio regaço!

 

Silenciar é ficar a sós consigo sem os dramas externos ou internos

Fechar as portas dos infernos pra não ouvir os próprios medos

O silêncio solidariza-se com a solidão no ato da criação

Na solidão a inspiração se faz teto da emoção

A solidão de fato não existe, um anjo amigo insiste em tocar no seu coração

 

Em silêncio folheias as páginas de um bom livro

A solidão é o crivo do pensamento livre

Em silêncio a canção te domina os sensores da alma

A oração te faz solidário com Deus

Que não te deixa só com os problemas seus

 

Silêncio e solidão são versos mudos de uma confissão

Na solidão confessas que o silêncio a Deus te revela

Tal como és e jamais como falsa aquarela

Em silêncio encontras a si no vazio da multidão

Na solidão testemunhas as vozes da inspiração

 

Em silêncio teus sentimentos são mornas brasas que aquecem a casa do teu coração

Em silêncio vigias o medo, a indecisão e a sombra

Solitário crias os degraus com escombros pra te alçares do abismo

A luz que te ilumina enquanto efeito material

Não cicatriza o nódulo emocional

Mas, no silêncio tu transgenizas valores de teor moral

 

Na solidão do nascimento uma coragem inconsciente

Na solidão da morte o silêncio de si mesmo!

Ora e vigia em silêncio deixando dormente seus medos

Pois na solidão verás o tamanho das tuas incertezas

Conferindo também a velocidade e intensidade de mudanças reais

 

Silencia na solidão de si mesmo consoante ao silêncio de Deus

E deixa de pedir, ou mesmo exigir, mas conferir se o seu designer é de paz

Deus já tem feito pelo universo infinito de modo perfeito

Em tempo eterno, a luz, a vida e o amor

Tu que buscas lá fora o que te nasce por dentro

Silencia o teu desespero

Cala a tua dor

Põe na solidão o desamor

Aceita as injunções e resigna

A tua sina é imortal, temporariamente facetada na vida material

 

E ora no silêncio da humildade

Pai de toda a Eternidade

Permita que a tua Excelsa Bondade

Seja sempre o caminho da minha liberdade!

############################################################

Ademário da Silva – 23/set./2008

Soc. Esp. Facho de Luz e Caridade….

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: