Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

Tergiversações

Você me encontrou pelos caminhos da vida

Você me amou como flor se abrindo

E a afinidade molhou corações esquecidos

E agora a amizade é um perfume nos sonhos de estrelas…

Se você se arrepender nem tente me esquecer

Não que eu seja a pessoa mais importante em sua vida

Mas, pela certeza de que a sua vida é mais importante que eu enquanto pessoa

E por que a memória é traiçoeira e por que os nossos sentimentos são como um salgueiro

Que ao mais leve vento entoa tormentos e lamentações como se vivesse nas últimas estações 

E eu não sou a pessoa mais importante por que em primeira instância está você

 A sua vida, o seu tempo, o seu momento e o seu jeito de ser

O esquecimento é uma ilusão que a gente remenda na raiva e na frustração

E por que são sentimentos incompatíveis, o esquecimento, a raiva e a frustração

Continuam em nossa memória em gestação

E viram pinturas sobre paredes ruídas

Fantasias de emoções mal resolvidas

Fantasmas de noites mal dormidas

Entulhados nas gavetas do passado

Uma palavra, um verso ou um recado

Hoje sou apenas um grão de trigo no meio da plantação

Anônimo, estranho e até esquisito, sem eira nem beira na imensidão do infinito

Mas, carrego um sonho no útero da imaginação

Ser seu amigo nesta estação

E como disse o poeta: “Dormi com saudades suas e sonhei com a liberdade”

Como se fosse gente com direito a sonhar

E mesmo sendo um verme ou quem sabe uma semente, que pulsa na própria escuridão

Sigo em meus passos sobre o mormaço da esperança

E como criança que sabe que a mãe vai voltar, mesmo assim me abraço ao medo

Esse enredo um dia a felicidade vai patrocinar

Não conjugue meu verbo como se fosse sentença

O esquecimento não é ciência que se possa calcular e definir sua constante

Ele mora num instante, mas, toma posse da hora, do dia e de todo o tempo

Por que é a memória da teimosia

O esquecimento na verdade não deixa esquecer

Insiste na lembrança como criança birrenta

É oração repetida que não consegue resolver

Penitência pedida só pra sofrer…

Paciência não é medida de exatidão, pois pede o tempo como testemunha

E mesmo que a paciência explique a exatidão que o tempo perdeu tempo e a medição

O coração é quem reclama da provação

E nos saraus da imortalidade engendrados pelo esquecimento

A sensibilidade é a prova de que o esquecimento mediuniza

A saudade como se fosse tormento

De nada adianta então me esquecer

Nós somos seres imortais que só precisamos crescer!

Ademário da Silva

31/03/2008 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: