Este Blog tem a finalidade de divulgar estudos e aprendizados espíritas, tendo por prisma de visão Allan Kardec.

                                     A Boca Mediúnica!                                   

 Aqui e acolá desprendido ou vigilante                                

Por onde se vai e principalmente onde se está                                  

E o que é tão preocupante                                  

Por que se vai também onde não pode e como se está que às vezes não devia                                  

Sensações virtuais, mas tão espirituais de noite ou de dia                                  

 Pensar e repetir, sentir e quase tocar                                  

Ouvir como se alguém estivesse a falar                                  

Traduzir em palavras o imponderável que só faz emocionar                                  

A identidade sobreposta nos sensores da amizade interdimensional                                  

Qual luz rebatida pelo espelho                                  

Entre o côncavo e o convexo                                  

Tons e sobre tons da afinidade                                  

 Transferindo para o presente,  sentimentos e verdades                                  

Como se fora sombra que acompanha nossos passos pelos caminhos                                   Saudade por detrás de montanhas fazendo teto aos ribeirinhos                                  

Luz da Mediunidade!                                  

Voz da intuição                                  

Na boca muda da consciência                                  

Articulando gramática de correção                                   

Induzindo ética e moral pelos canais da inspiração                                  

 Como se estivesse morando no útero da emoção                                  

Fecundada numa relação amiga                                  

Dividindo células e versos, impressões e notícias                                  

Num transe de obrigações intestinas                                  

Dando luz a histórias antigas                                  

 Inspiração parturial, infinita                                  

 Olhos ardentes no escuro vigiando-nos a desdita e também a conquista                                   Por detrás de muros transcendentais                                  

Paredes fluídicas separando-nos                                  

De sorrisos e conselhos ancestrais,                                  

Imagens amigas do tempo, nos vitrais quadrimensionais                                  

A boca mediúnica, única                                  

 Morna, quase úmida e translúcida                                  

 Dizendo-nos:                                  

Vás e não peques mais!                                                                                

 Ademário 07/12/05 00h45min                                                                                

Revisada em 25/janeiro/2008                                                                                 Soesfaluzca.  

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: